segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Reparação de Ian McEwan


Avaliação:  | 272 páginas; Editora Companhia das Letras


Como sempre adorei o filme Desejo e Reparação nada mais normal que querer ler o livro. Calhou de uma garota da minha turma estar se desfazendo de alguns livros e esse estar entre eles. Não resisti, comprei e de imediato comecei a leitura.
O ano é 1935. Briony é a caçula de três irmãos. Ela é incrivelmente imaginativa e desde pequena apaixonada por escrever histórias. Um dia ela acaba testemunhando de longe uma cena estranha entre sua irmã e o filho da empregada da família. Ela não compreende muito bem o que aconteceu, mas sua mente logo começa a preencher as lacunas.
O livro é narrado em terceira pessoa e dividido em várias partes. Na primeira nós conhecemos todos os personagens que estão ali juntos na casa de Briony e vemos duas situações distintas se desenrolarem simultaneamente e acabarem se misturando. Uma delas é um tanto obscura, mas tem pistas suficientes para entendermos o que está acontecendo. A situação com a irmã de Briony nos é mostrada de diversos pontos de vista e isso é algo que acho incrível. O ritmo é um tanto lento, pois o escritor explora bem os pensamentos de muitos personagens, mas não é cansativo, mesmo as cenas muitas vezes sendo narradas mais de uma vez. É muito bem escrito e a história muito bem traçada.
Nas demais partes o cenário muda bastante e acompanhamos Briony, a irmã Cecilia e Robbie durante a Segunda Guerra Mundial. Confesso que meu ritmo de leitura diminuiu bem a partir desse momento. Eu adoro histórias de época e ler sobre o cotidiano durante uma guerra mundial é tenso e, ao mesmo tempo, interessante. No entanto o foco passou a ser a vida dos personagens, o que eles estavam fazendo e como estavam passando por esses tempos difíceis, além das lembranças que tinham de sua antiga vida pré-guerra. Isso se alongou até o fim do livro, onde já podemos acompanhar um pouco da Briony idosa. Mas de fato a história seguiu seu curso natural e o desfecho está ali, por mais sutil que ele possa parecer. 
Se fosse pela primeira parte, eu teria dado cinco estrelas para esse livro muito facilmente e ele talvez seria um dos meus preferidos. A queda do ritmo da trama nas páginas seguintes me fez pensar melhor, mas ainda assim não deixa de ser um livro espetacular, que me rendeu uma ótima leitura, e que eu certamente recomendo.


4 comentários:

  1. Já fazia um tempo que o filme adaptado desse livro tava na minha lista do Netflix. Agora você conseguiu fazer com que ele saísse: preciso ler o livro primeiro. Hahah
    P.S. Mais posts, sim? Obrigado. (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia e veja, porque essa história é muito boa!
      Tu é outro que precisava voltar a postar, né, Arthuuuur hahahah

      Excluir
  2. Romances históricos são tão legais! Gosto muito de livros assim como esse. Não chega a ser auqele tipo de estória que muda sua vida (rsrs) mas costumam ser leituras boas e interessantes, mesmo assim. Gostei da dica!

    Obs.: Obrigada por todos os seus comentários lá no meu canto, fiquei super contente com sua passagem por lá! <3

    Beijos,
    Ruh Dias
    perplexidadesilencio.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amo romances históricos e adoro saber um pouco mais sobre como eram as coisas em outros tempos.
      Passo no teu blog de tempos em tempos só, mas pra compensar saio comentando em quase todos os posts! hahahaha Acho seu blog super interessante <3

      Excluir