quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Trono de Vidro de Sarah J. Maas


Avaliação:   | 392 páginas; Editora Galera Record


Celaena Sardothien tem apenas 18 anos, mas é a assassina mais perigosa de Endovier. Depois de ter sido capturada ela passa anos como escrava trabalhando nas minas de sal, até que um dia o próprio príncipe Dorian a tira de lá e lhe oferece a liberdade sob uma condição: que ela lute como sua campeã em um evento que decidirá quem será o assassino real. Celaena detesta o Rei com todas as suas forças e hesita em aceitar trabalhar para ele, porém é sua liberdade que está em jogo.
Celaena passa a viver no castelo de vidro, sendo treinada por Chaol para competir contra outros assassinos e ladrões. Porém, um a um, esses competidores começam a aparecer mortos e apesar de todo o esforço da guarda real, eles não conseguem encontrar o culpado. A partir disso a assassina começa a descobrir muitos segredos do castelo em que está hospedada e sozinha passa a investigar o que está por trás dessas mortes.
Esse livro é exatamente do jeito que eu gosto; completo, misturando momentos de ação, suspense e reviravoltas, fantasia e magia e romance. 
Eu percebi que houve um certo amadurecimento da própria escrita da autora durante o livro. Talvez o começo fosse muito simples e ela não soubesse bem como preencher aquele espaço, pois os diálogos me pareciam mais forçados e desnecessários. A própria Celaena era um pouquinho irritante. Porém aos poucos a história foi ficando mais complexa e incorporando cada vez mais elementos, o que me surpreendeu de maneira positiva. E os personagens se tornaram mais interessantes (apesar de que eu gostei do Chaol desde o início; shippei muito ele e a Celaena, confesso).
Alguns detalhes me incomodaram como, por exemplo, o uso constante da expressão "trincar os dentes". Todo mundo nesse livro trincou os dentes pelo menos uma vez. A Celaena, então, passou a história toda trincando os dentes. Na metade do livro eu me arrependi de não ter começado a contar quantas vezes eu já tinha lido isso.
Outra coisa (menor e menos irritante) é que, apesar dos capítulos serem curtos - amo - os momentos de ação, principalmente do final, ficaram divididos em muitas partes. Parecia que a luta não terminava nunca, porque ela sempre se arrastava para o capítulo seguinte. Às vezes o capítulo nem era conclusivo, a história apenas cortava o que estava acontecendo para ir pro próximo. Mas admito que aí já é chatice minha.
Eu confesso que estava muito empolgada para ler esse livro. Comecei com uma expectativa imensa e, logo nas primeiras páginas, me senti um pouco decepcionada por não ser o que eu esperava. No entanto o livro é tão bom, que passei a gostar muito dele ao longo da leitura, quando a história começou a se mostrar mais profunda do que aparentava ser, e estou muuuito animada para ler os próximos!



Um comentário:

  1. Isso de me decepcionar no começo da historia e só depois começar a gostar já aconteceu comigo. Espero ler em breve Trono de Vidro. Por enquanto tô tentando me controlar para não comprar livros novos, mas com certeza este vai ser um dos primeiros que vou comprar(quando voltar a comprar haha)

    http://livrosenerdice.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir