sexta-feira, 1 de maio de 2015

Maze Runner - Correr ou Morrer de James Dashner


Avaliação:  | 426 páginas; Editora Vergara e Riba


Eu já tinha ouvido falar sobre a série Maze Runner há muito tempo. Somente comentários positivos, em todo blog e canal que eu visitava. Mas eu nunca tinha me interessado.
Até que eu vi o trailer do filme que estava para ser lançado. Lembro-me que ele passou quando eu estava no cinema para ver A Culpa é das Estrelas. E esse trailer me intrigou tanto, que fui assistir quando ele enfim saiu. 
Assim que o filme terminou, eu segurei o braço do meu amigo e falei, ainda olhando para a tela: "Eu preciso ler esse livro. Eu preciso saber o que acontece depois". E aqui estou eu!
Em Correr ou Morrer, nós acompanhamos um garoto de mais ou menos 15 anos, que surge por um elevador numa clareira repleta de outros meninos. A única coisa da qual se lembra é seu nome: Thomas. Nessa clareira os meninos são organizados, cada um tendo suas responsabilidades, vivendo em comunidade. Porém o lugar é rodeado por quatro muros gigantescos, cada qual com uma enorme abertura, que se fecha ao crepúsculo e reabre ao amanhecer. Essas entradas levam a um labirinto repleto de criaturas assassinas. Os únicos que adentram esse local são conhecidos por Corredores; eles percorrem os labirintos todos os dias, decorando-o, pois as paredes se movem durante a noite, tentando encontrar uma saída.
É com a chegada de Thomas que tudo começa a mudar. A rotina da clareira é por diversas vezes quebrada e Thomas tem uma curiosidade e um instinto muito maiores que os dos demais. Ele está sempre em busca de respostas, sempre pensando sobre como sair daquele lugar.
O livro é bem maior do que eu pensava, mas o li até que bem rápido. Os capítulos são curtos, o que eu amo, pois faz com que a leitura seja muito mais dinâmica.
Há uma boa variedade de personagens que conhecemos. Além do Thomas, gostei muito de Newt, que apesar de ser meio impaciente (todos os garotos daquele lugar são grossos, céus) ainda é um bom garoto, um dos veteranos que acaba ficando do lado do protagonista. Chuck, apesar de irritar Thomas, se mostra o personagem mais cativante dentre os Clareanos, sendo o mais novo e gentil.
Ali os meninos desenvolveram algumas gírias próprias. Confesso que achei isso desnecessário; não é como se eles não se lembrassem de coisas como expressões para terem de inventar novas, mas esse detalhe reforça a ideia de que eles são um grupo em seu próprio "mundo" ali entre os muros.
Trata-se de uma ficção científica pós-apocalíptica, mas também com bastante mistério (adoro). O ritmo da história na primeira metade é um tanto lento, com Thomas ainda sendo apresentado (e nós também) àquela realidade da clareira e todas as mudanças que sua chegada causou, mas depois as coisas se desenrolam com mais velocidade, seguindo a linha de raciocínio do protagonista, enquanto ele e os outros Clareanos passam por situações complicadas e tentam achar um modo de escapar.
Apesar do desfecho deste livro ser bem conclusivo, há uma grande brecha para o segundo, onde a situação mudará completamente. Eu estou muito animada para saber o que acontecerá no próximo, Prova de Fogo. Mal vejo a hora de terminar essa série!

8 comentários:

  1. Nossa que resenha linda! Eu também só ouvi falar, mais ainda não li...
    Mais ainda não tive vontade de ler, mais quem sabe um dia não me interesse. :)

    Seguindo! Bjs. Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ps: Não deixe de conferir minha última resenha! É o meu penultimo post.

      Excluir
  2. Eu assisti ao filme antes, mas isso me despertou a vontade de ler o livro. Espero poder lê-lo logo haha (mas tenho tanta coisa pra fazer antes snif snif). A história em si me atrai, eu AMO esse tipo de narrativa, de história e tals.. Ótima resenha!

    http://anneandcia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu (:
      Então não deixe de ler, porque é muito bom! Arruma um tempinho pra ele, porque vale muito a pena hahahah

      Excluir
  3. Ela leu!! \o/ Hahaha
    Acho muito difícil alguém encontrar motivos para não gostar desse livro. Ele consegue trabalhar muito bem o que propõe, como se o autor pegasse a inspiração que o fez começar a escrever, e a renovasse a cada nova página escrita.
    Infelizmente, não senti a mesma coisa nos demais livros da série. O rendimento caiu, o autor parece ter esquecido da inspiração e passou a escrever para cumprir prazos... Pelo menos foi essa a impressão que eu tive - principalmente no terceiro livro. Mas, sei lá, isso é opinião minha; leia e depois vamos discutir! xD

    http://discodivinil.blogspot.com.br/

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, amigo, não me desanime. Eu adorei tanto esse livro e estou tão curiosa e animada pro próximo! hahahah Mas é mesmo, não achei nada de ruim nesse livro. (:

      Excluir
    2. Hahah, não estou querendo te desanimar! Até porque o jeito como o Dashner termina esse primeiro livro impede que você deixe de ler os próximos. Só que agora você vai pegá-los para ler com uma expectativa menor e, quem sabe, ter uma experiência melhor que a minha...
      Ainda não assisti o filme, estou guardando ele como trunfo pra me animar a ler o quarto livro e terminar a série - só que tenho que fazer isso antes de lançarem o segundo! Haha

      Excluir
    3. (Vou ter que reescrever meu comentário, ADORO quando isso acontece)
      O filme é muito bom, viu? Não vá ver com aquele preconceito de "não é assim no livro, mimimimi", senão tu perde uma boa experiência. Eles mudaram a ordem de vários acontecimentos e outras coisas mais, mas ainda é bom.
      O quarto livro é um extra, que conta a história antes do primeiro livro, não? SE eu tiver interesse depois de terminar o terceiro, talvez eu leia esse, mas no momento eu não penso em ler.
      E preciso ler o dois logo antes de sair o filme, verdade. hahaha

      Excluir