terça-feira, 16 de setembro de 2014

Belle Époque de Elizabeth Ross


Avaliação: ☆ | 294 páginas; Editora Verus

Maude fugiu de sua casa assim que soube que seu pai pretendia casá-la com o açougueiro de sua cidade. Em Paris, a menina percebe que sua ideia romântica de liberdade não é bem a realidade com a qual tem que lidar; para sobreviver na capital, Maude deixa de lado seus princípios e amor próprio e começa a trabalhar em uma agência nem um pouco convencional, onde a companhia de mulheres feias é vendida para clientes ricas que desejam ter sua beleza acentuada.
Seu primeiro trabalho é ser acompanhante de Isabelle, uma garota fora dos padrões da época, que não se importa com casamentos, mas em estudar ciências e ir para a faculdade. O detalhe é que Maude foi contratada pela mãe de Isabelle, a condessa Dubern, sem que a filha soubesse.
Preciso dizer que achei esse tema sensacional. A autora trabalha com um assunto um tanto clichê, que é a questão dos padrões de beleza e sua relevância, mas de maneira totalmente inovadora. Nós acompanhamos a confusão que se instaura em Maude quando ela se coloca na posição de uma menina feia, ora acreditando nisso, ora pensando ser muito melhor do que isso. Também a vemos participar de um mundo do qual não faz parte e ser seduzida pela riqueza, se embrenhando em intrigas e mentiras.
Esse livro conta não só a jornada de Maude em busca de autoconhecimento e descobrindo a verdadeira beleza das coisas e pessoas, como de Isabelle, que não se deixa ser impedida de ir atrás do que quer. E, também, a amizade que surge entre as duas, onde uma aprende com a outra, em diversas situações da vida.
Outro aspecto maravilhoso desse livro é o cenário. Paris, em plena Bela Época, estouro artístico e revolucionário, é um ambiente incrível. Entramos em contato com o processo de fotografia em seus primórdios e vemos a torre Eiffel sendo erguida e rejeitada pelos parisienses, que a consideravam algo feio e desnecessário, numa metáfora direta relacionada ao tema.
Eu achava que seria um romance romântico e, apesar de Maude se interessar por um músico boêmio, isso é apenas um detalhe, pouco focado. Gostei muito de ver mais a amizade entre as mulheres, tanto de Maude com Isabelle, quanto da protagonista com as outras meninas que trabalham na agência com ela.
Belle Époque é um livro muito bom, especialmente para os que gostam de histórias ambientadas em outras épocas e arte, mas que deveria ser lido por todos.


2 comentários:

  1. Preciso comprar esse livro. Fim. HAHAHA
    Amo/sou histórias de época e, apesar de não ser um romance romântico, eu me interessei muito pela temática e preciso conferir essa história de pertinho. Obrigada pela dica :)
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adoro história de época! E fiquei feliz de ter descoberto esse livro, totalmente por acaso, vale muito a pena! (:

      Excluir