quarta-feira, 3 de setembro de 2014

A Mulher de Preto de Susan Hill


Avaliação: ☆ | 208 páginas; Editora Record

Arthur Kipps é um homem atormentado por acontecimentos em seu passado e, afim de exorcizar essas lembranças, ele decide escrevê-las. Assim, acompanhamos a história de quando o jovem Arthur é enviado pela agência de advocacia em que trabalha para Crythin Gifford, com o objetivo de recolher todos os papéis que encontrasse na casa da falecida Sra. Alice Drablow e separar os documentos importantes.
No entanto, a viúva vivia em uma casa no meio do brejo, local que durante as marés altas se torna completamente isolado do resto da cidade. A casa é considerada mal assombrada pelos habitantes e ninguém tem coragem de chegar perto dela. Arthur, cínico como era, não se deixa levar pelos rumores. Mas em sua estada na casa durante alguns dias e noites, sua firmeza é abalada ao se deparar com uma mulher vestida de preto e de rosto doente. Eventos estranhos acontecem a seu redor e o futuro que lhe é reservado não é tão tranquilo quanto imaginou que seria.
A Mulher de Preto é uma história de terror daquelas com ritmo tranquilo, que causam um frio na espinha em seus momentos mais tensos. Não há ação ou fortes emoções; trata-se mais daquelas conhecidas sensações de quando ouvimos um barulho diferente, quando nos deparamos com o desconhecido, quando sentimos certas presenças... 
Particularmente, eu gosto desse tipo de terror, mas achei a história um pouco sem objetivo, como um acontecimento qualquer que ocorreu na vida de Arthur e só. Eu achei que o filme soube prender a atenção e desenvolver a trama muito melhor - além de ter um final mais surpreendente.


3 comentários:

  1. Eu não li o livro, somente assisti ao filme e concordo com você quando diz que a história não tem muito bjetivo, eu achei meio sem nexo, como se as cenas de suspense fossem colocadas ali sem uma ordem muito específica apenas para gerar em nós aquele sentimento de apreensão e medo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, mas o filme soube criar uma história com começo, meio e fim muito melhor, eu achei. E com cenas mais emocionantes. Mas, apesar disso, eu gostei do livro.

      Excluir
  2. Eu corro de filmes assim, o livro até pode ser mais interessante.
    Medroso eu? Magina kkkk


    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir