sábado, 16 de agosto de 2014

Playlist da Semana #1


Oi, gente!

Eu sei que o blog se chama Sobre Livros e Letras e eu mesma, desde o início, queria manter apenas assuntos relacionados a livros e textos aqui, mas eu decidi postar sobre outras coisas também, talvez deixar o blog um pouco mais pessoal. 
Por enquanto, vou começar a postar algumas playlists. Essa é a da semana que passou, com as músicas que mais ouvi (e vocês vão perceber como o meu gosto musical é completamente aleatório hahahaha).



Teenage Riot é minha música preferida do Sonic Youth. De vez em quando me pego viciada nela, ouvindo sem parar - mesmo ela sendo longa. Sempre me sinto animada com ela.



Nirvana é minha banda preferida, mas confesso que passei a ouvir mais nessa semana Frances Farmer Will Have Her Revenge On Seattle depois de ler Cartas de Amor aos Mortos, livro no qual a protagonista, ao escrever uma carta para Kurt Cobain, comenta sobre o refrão dessa música ("I miss the comfort in being sad"). Depois disso eu meio que viciei nela.



Tudo começou quando uma amiga minha disse estar ouvindo Gorillaz. Conversamos sobre as músicas, os clipes e sobre a banda. Então nosso amigo comentou sobre o Gorillaz ter sido criado pelo "cara do Blur" - vulgo Damon Albarn, vocalista - e então eu comecei a desenterrar músicas deles, até chegar em Girls and Boys. E, por algum motivo, ela não saiu mais da minha cabeça.



A primeira vez que ouvi Dark Horse da Katy Perry eu odiei. Achei a música super estranha e sem ritmo. Porém um dia vi o clipe passando na televisão e achei ele tão bacana, todo colorido e com o antigo Egito como tema (adoro!) e gostei. A música acabou ficando na minha cabeça e não consegui parar de escutar mais.



Conheci I Follow Rivers (o remix) de Lykke Li quando assisti ao filme Azul É A Cor Mais Quente. O filme deixou bem a desejar, pra ser sincera (farei resenha dele aqui no blog), mas eu fiquei viciada nessa música! Não conseguia mais parar de ouvir.

Conhecem ou gostam de alguma das músicas do post? O que acharam da minha playlist? Estão viciados em qual música no momento? Comentem (:

Meu Last.fm

25 comentários:

  1. Confesso que não gostei da maior parte das músicas selecionadas... Hahaha. Mas existe um porquê: Geralmente eu não gosto de uma música de primeira. Tenho que escutá-la algumas vezes, me acostumar ao ritmo, até afirmar que essa música é boa.
    Já conhecia Blur e Sonic Youth de nome. Da primeira conheço a Song 2 (Wooo Hoo!) e da segunda, peguei a indicação do livro A Mulher do Viajante no Tempo (aquele livro é foda pra indicar bandas punk), mas acabei não gostando das músicas deles...
    Katy Perry não adianta, não curto mesmo.
    Agora, essa do Nirvana eu não conhecia, vou escutar mais vezes.
    Falando no Nirvana, não consigo tirar a versão deles da Where Did You Sleep Last Night da cabeça...

    Ah, indiquei seu blog para responder à TAG "Skoob". Espero que goste e que ainda não tenha respondido:

    http://discodivinil.blogspot.com.br/2014/08/tag-skoob.html

    Grande abraço!

    In the pines, in the pines... Where the sun don't ever shine... I would shiveeeeer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Song 2 é clássica hahahah
      Eu também li A Mulher do Viajante no Tempo e, de fato, ele menciona bandas muito boas lá! Bem, eu acho, afinal eu gosto do estilo punk/grunge.
      Where Did You Sleep Last Night é maravilhosa na voz do Kurt. Eu adoro essa música. Conhece The Man Who Sold The World, né? É outro cover incrível do Nirvana (que eu prefiro ao original, pra ser sincera hahaha)
      Sou assim com a maioria das músicas também. Se ela me pega de primeira, é porque eu realmente gostei MUITO dela.

      Respondi uma TAG com esse mesmo nome muitos meses atrás, mas agora que eu reparei que não é a mesma hahaha Acho que vou fazer uma mistura das duas, fazer um post "atualizado".
      Obrigada pela indicação!

      Excluir
    2. Hahaha, conheço sim. Aliás, fiquei muito tempo achando que essa música eram deles mesmo. Daí um amigo me disse que ela tinha sido composta pelo Dave Grohl, fui pesquisar e acabei achando a original do Bowie (que é meio estranha depois que a gente acostuma a escutá-la na versão do Nirvana).
      Nota: Já escutou Seasons In The Sun? O Kurt e o Dave trocam de instrumentos.
      Nota 2: Seasons In The Sun também é cover. Precisamos começar a falar de músicas autorais deles antes que algum leitor distraído do seu blog tome Nirvana como uma banda ruim.

      Excluir
    3. HAHAHAHAHAHA Verdade
      Eu acho a original do Bowie estranha demais, mas talvez seja por isso mesmo, acostumei com a do Nirvana, que já é tão boa...
      Já ouvi Seasons In The Sun, inclusive tem vídeo deles tocando aqui no Brasil essa música. "Tocando", porque foi uma bagunça esse show.
      Falando das autorais agora então hahahah You Know You're Right, considero uma das melhores deles. Queria muito ter escutado o CD em que ela estaria. Infelizmente isso jamais vai acontecer ):
      A parte boa de gostar de bandas que não existem mais é que não dá pra estragar, né? hahahahaha Elas serão pra sempre boas rs

      Excluir
  2. Até dá, não viu a Miley Cyrus cantando Smells? hahahah
    Mas é verdade. Ninguém consegue cantar as músicas do Nirvana tão bem quanto o próprio Kurt. Acabou que o perfeccionismo dele tornou impossível qualquer outro cantor chegar perto de uma performance ao menos parecida...
    You Know You're Right é legal, mas eu prefiro Polly, Lithium e minha preferida deles, Lake Of Fire.
    Agora contrariando o que eu falei acima, já assistiu algum cover que o Seether fez do Nirvana? Não é a mesma coisa, claro, mas fica muito massa. Nem sei se você conhece Seether... Caso não conheça, escrevi um post sobre eles, antes daquela TAG do Skoob (mas não comenta lá, vamos acabar contaminando mais um post com conversas longas demais, hahahaha). Caso se interesse, veja o cover que eles fizeram de Polly. Muito fera!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que vi. Queria poder desver hahahahaha
      Eu adoro Lithium! Por muito tempo foi a minha música preferida deles - até eu conhecer Aneurysm. Confesso que com o tempo eu deixei de gostar de Polly. Não da música, mas a temática... Começou a me incomodar, de verdade. Não consigo mais ouvi-la. Tem a versão "new age" dela, já ouviu? É mais rápida, ficou bem legal.
      "Conheço" Seether, tipo, sei que existe hahaha Vou lá checar!
      Ah, não ligo, foi pra isso que criei o blog, poder conversar sobre os assuntos com outras pessoas, né? Mas pode deixar, não vou causar lá no teu, não hahahahaha

      Excluir
    2. É, o tema de Polly é bem forte mesmo, mas para mim é uma das melhores músicas deles. Primeiro porque foi baseada numa notícia real de sequestro e tortura de uma menina; e segundo pelo próprio ritmo escolhido pra ela: Lenta e com frases curtas mas efetivas. Tenho a impressão de que, se quando aquela menina foi resgatada ela compusesse uma música, seria exatamente como Polly. Transmitindo a tortura sofrida no próprio desenrolar pausado da canção.
      Aneurysm é uma das minhas preferidas também, principalmente o primeiro "verso". Hahaha. Muito viciante aquele "Come on over, and do the twist..."
      Escutei a versão que você citou, de Polly, mas não gostei... hahah (sou chato né, já falei que não gostei das músicas que você indicou no post e agora não gosto mais dessa). Me pareceu que ela foi só acelerada, e acabou perdendo um pouco daquilo que eu falei aí pra cima.
      Outra música massa, porém que eu não gosto tanto, é a Rape Me; que acaba fazendo justiça pela Polly...
      Acho que a única música que eu posso dizer com certeza que não gosto, do Nirvana, é a Pennyroyal Tea... A letra é até bacana, o ritmo é que deixa a música chata.
      Bom mesmo que você não vá causar lá no meu blog. Se tem uma coisa que eu detesto é quando meus posts recebem muitos comentários. -q Hahahaha

      Excluir
    3. Saia já daqui, você acabou de chamar Pennyroyal Tea de chata! hahahahah Apesar do tema me ser incômodo também, acho que por ser mais direta Rape Me não me chateia tanto. E eu gosto muito do ritmo dela.
      Certamente a Polly original é melhor, só comentei que existia o outro estilo pra você conhecer hahaha
      Outra que adoro é Spank Thru. Pouca gente conhece e a letra é ridícula - o Kurt escreveu quando tinha uns 15 anos acho. Mas o ritmo é tão contagiante! hahahah No geral eu gosto mais das músicas mais "sujas", com mais distorção e gritaria.
      Se não conhece, ouça Love Buzz, que é boa demais também (tudo bem que sou suspeita pra falar, é minha banda preferida, devia logo sugerir que ouça todos os cds inteiros hahahaha)

      Excluir
  3. Eu sabia! Hahahah. Não sei o que as pessoas veem na Pennyroyal Tea. A parte instrumental dela e a letra pura são boas, mas sei lá, alguma coisa faz aquela música ser muito enjoativa... (Não me cruscifique, haha)
    Não conhecia a Spank Thru, mas o ritmo é muito bom mesmo!
    Love Buzz eu conheço, foi a primeira música deles a fazer sucesso né, ainda no Bleach. Apesar de também ser um cover. :x
    Estou achando que o meu caso com a Where Did You Sleep Last Night é sério, até agora não consegui tirá-la da cabeça. Hahaha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei que você tinha levado a sério o "saia daqui" HAHAHAH Não sei porque você não gostou, acho que ela é bem a vibe das outras do In Utero... Acho que foi pessoal isso aí hahahaha
      Ah, mas pelamor, a versão do Nirvana é mil vezes melhor hahahaha
      Where Did You Sleep Last Night é boa assim mesmo. Melhor que estar com uma música insuportável na cabeça, né? hahaha

      Excluir
  4. E quem disse que eu não levei? Fiquei ressentido ontem o dia todo. Hahahah
    Não sei, acho que não gosto de músicas que se repetem muito, como o refrão da Pennyroyal, com todos os versos terminando no mesmo fonema. Talvez seja essa também a razão de eu não gostar tanto da Rape Me, embora a ache muito boa (só digo que "não gosto tanto" em comparação às outras músicas do Nirvana).
    A Love Buzz original é mais irritante que qualquer zumbido de amor. Hahahah. Embora o clipe da original seja muito engraçado. xD

    https://www.youtube.com/watch?v=5x4DExYv35c
    (Fala sério, muito profissional esse pessoal que repete a mesma dancinha ridícula mais de dez vezes hahah)

    Com certeza! Tem dia que eu fico com um axé porcaria colado na cabeça e não consigo nem dormir. Hahahaha

    ResponderExcluir
  5. Esse clipe parece tipo a fita da Samara, sabe? Se você viu isso, compartilhe, senão morrerá em 7 dias hahahahah
    Uma música que é bem não fede nem cheira, mas que por grudar fácil me irrita um pouco é Let It Go de Frozen. Posso nem cantar mentalmente essa frase uma vez, que se tornam 300. Parece um disco riscado dentro da minha cabeça.
    Outra música legal com letra tosca (que o Kurt escreveu quando novinho também) é Sliver. O clipe também é legal, sempre dou risada com o bebezinho "dançando" hahahaha
    Mas a gente falou bastante de Nirvana; fiquei curiosa, o que você gosta de ouvir?

    ResponderExcluir
  6. Hahahah, ou então será condenado a tocar gaita pra ela pro resto da vida. hahah
    Já fiquei com Let It Go na cabeça também, mas só essas três palavras no ritmo da música. hahah Eu acho que nunca escutei ela inteira e, por autopiedade, nunca farei isso. xD
    Gosto muito de Silver, mesmo a letra sendo tosca assim haha. Aquela bebê é a Frances (filha do Kurt), não é?
    Então, minha banda favorita desde os 11 anos é Green Day, influenciado por um jogo de PS2 chamado "Tony Hawk's American Wasteland". Não sei você já jogou ou mesmo se gosta de videogame - hoje em dia eu já não curto tanto - mas este é um ótimo jogo. Esse jogo influenciou quase que minha pré-adolescência inteira: Green Day não saía da "minha lista de músicas do Windows Media Player"; a primeira camiseta de banda que comprei foi do Dead Kennedys, outra banda que compunha a trilha sonora do jogo; e comecei a andar de skate por causa disso também (aprendi muito bem, inclusive; não sei dar nem ollie, haha).
    Mas eu ando escutando muito Seether, Foo Fighters e Panic! At The Disco... (escuto Green Day bem menos agora, mas volta e meia acabo colocando um álbum deles pra tocar - já reparou que as músicas deles não enjoam?)

    ResponderExcluir
  7. Também só sei esse refrão de Let It Go, é o suficiente. E, sim, é a Frances hahaha
    Eu adoro videogame. Não sou "gamer", mas tenho meus jogos preferidos. E sou daquelas que compra os jogos 5 anos depois, quando eles estão baratos hahahahah Eu não jogava esse, mas conheço. E por falar em jogo com trilha sonora boa de músicos: Need For Speed Underground 2.
    Eu adoro Green Day! Melhor show da minha vida o que eles fizeram aqui no Brasil em 2010 <3 Confesso que é o tipo de banda que vai e volta na minha playlist; tem épocas em que eu canso e outras que eu ouço sem parar. E, pra falar a verdade, eu não gosto taaanto do que lançaram depois de American Idiot. Acho que começou a ficar muito do mesmo.
    Eu gostava MUITO de Panic no primeiro CD deles, adoro aquele álbum até hoje. Depois eu acho que eles ficaram um pouco chatos e "comuns"... Meu sonho era ver um show deles no estilo que faziam antigamente, como se fosse um circo! (Por isso comentei do Nirvana ter acabado e não existir a possibilidade de ficar ruim; tem muita banda que hoje em dia eu não gosto mais tanto como antigamente, é meio triste).
    Foo Fighters pode ser do Grohl, mas nunca me encantou. Tem uma ou outra música bacana e só. Do Seether eu conhecia a Broken só, mas depois do teu post eu vi que o resto das músicas é bem bacana também (:

    ResponderExcluir
  8. Concordo contigo, assim como já concordei com outras pessoas que me disseram que após American Idiot os álbuns do Green Day "pioraram"; mas eu tenho uma teoria para isso:
    No início da carreira o Green Day tinha músicas muito "imaturas", falando sobre a adolescência, rebeldia... Ouça, por exemplo, Welcome To Paradise, My Generation e Disappearing Boy. Já pro final dos anos 90 (depois de Dookie, na verdade) as músicas foram ganhando maturidade e um novo foco (Basket Case, Minority). Do meu ponto de vista, o que aconteceu depois do álbum Warning (além da gravação de International Superhits!, que na minha opinião é o melhor deles, apesar de ser apenas um compilado de hits de outros álbuns) é que eles passaram a querer agradar uma gama maior de pessoas. E é aqui que as opiniões sobre a banda ficam difusas. Já ouvi dizer até que eles deixaram de ser punk na virada do século. Mas o que eu acho é que houve mais um amadurecimento musical, produzindo músicas mais críticas e, na verdade, mais punk ainda. O lançamento de American Idiot impulsionou-os, transformando moleques em ídolos.
    Só que eu não gosto de American Idiot. hahahah
    Assim como quando eu falei do Nirvana, EM COMPARAÇÃO, as músicas desse álbum são piores que as lançadas anteriormente. Tiro como exceções as quatro primeiras canções do CD, que foram as que me introduziram à banda e ainda figuram como algumas das minhas favoritas.
    A partir disso eles seguiram esse caminho (deu certo, fazer o quê...), produzindo outra Ópera-Rock (21st Century Breakdown - da qual gosto menos ainda). Os recentes lançamentos foram vistos, pela maior parte de "fãs-das-antigas" como um completo distanciamento da banda de suas raízes, tornando seu som muito mais pop que punk. Mas esses argumentos não me convencem ainda. Não acho errado a banda seguir um caminho diferente do original (compondo músicas mais românticas, fazendo trilha de Crepúsculo); já que muito do que eles faziam antes ainda está presente atualmente (99 Revolutions, Stop When The Red Lights Flash, Nuclear Family), apenas com uma pegada mais branda (afinal eles ainda cantam suas músicas antigas, e um show só com críticas à política, ao conformismo, às guerras e à alienação, é chato demais).

    Agora, como assim não gosta de Foo Fighters? Hahahah
    Eles podem não ser tão grunge quanto o Nirvana, mas a seu próprio estilo são muito bons. Mas acho que gosto é gosto. Eu mesmo prefiro Foo pra ser sincero, apesar de, em questões de voz do vocalista e letras, ainda preferir Nirvana.

    Nota: Nunca joguei Need For Speed Underground 2 (pra mim a série de jogos perdeu a graça depois do Porsche Unleashed - outro dos meus jogos favoritos), mas vou procurar a trilha sonora. Hahah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem diz que eles deixaram de ser punk, não sabe o que é punk. Mas não acho que as músicas caíram na qualidade ou deixei de gostar porque não é parecido com os primeiros álbuns, só acho que as músicas depois de American Idiot foram todas versões mais fracas desse álbum; não aguento ouvir hahahah
      Não é que eu não gosto, mas não me faz sentir nada demais, entende? É só uma banda boa e ponto. Devo ter umas três músicas na playlist e somente uma que eu realmente gosto e coloco pra ouvir (Pretender).
      NFS era demais ATÉ o Underground 2. Depois disso ficou uma bosta. hahahah (tenho uma raiva daquele Wanted, ô joguinho mala!)

      Excluir
  9. Hahaha, tá explicado então. É que, depois de Porshe Unleashed eu só joguei o Carbon (posterior a Underground 2) e não vi graça alguma nele.
    The Pretender é a minha favorita do Foo também (inclusive o clipe foda dela, hahahah). Já escutou Rope e Dear Rosemary? Acho essas três melhores que as que fazem mais sucesso, como Best Of You e Walk.
    P.S. Como foi a Bienal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dear Rosemary eu reconheço pelo nome, mas não me lembro dela. Vou procurar essas músicas depois.
      Farei um post falando sobre a Bienal (vou tentar escrever agora). Só adianto que não foi lá grandes coisas, sinceramente.

      Excluir
    2. Poxa, sério? Estava achando que você foi em um dos melhores dias...
      Sobre a trilha de NFS Underground 2:
      Já conhecia Riders On The Storm (The Doors), Give It All (Rise Against) e In My Head (QOTSA). Não escutei todas as outras, mas das que escutei, gostei de The Celebration Song (Unwritten Law), Determined (Mudvayne) e, principalmente, Black Betty (Spiderbait), hahahah, muito boa ela. xD

      Excluir
    3. Essas músicas todas são muito boas, esse jogo é muito bom hahahah Às vezes dá vontade de jogar só pelas músicas, porque elas combinam demais com o jogo.
      Acabei de escrever um post gigante sobre a Bienal, vou postar amanhã. Não sei se alguém vai aguentar ler, mas e daí? hahahaha

      Excluir
    4. Hahahah, não me importo com o tamanho. Na verdade, até prefiro, porque acaba detalhando melhor sobre o tema (só é chato quando a pessoa é prolixa/maçante/chata por natureza). Hahah
      Escrevi um post sobre a Bienal também, só que do outro ponto de vista: o de quem não foi. Se quiser dar uma olhada depois, fique à vontade.

      Excluir
    5. Acredito que eu não seja (maçante e prolixa, chata por natureza eu já não sei hahaha); às vezes tenho problemas por ser objetiva demais quando escrevo. Mas pra quê ficar enrolando e enfeitando as frases, né? Detesto gente que fala, fala e enche o texto de "palavras bonitas" pra dizer algo muito simples. Eu procuro estruturar bem as frases para dizerem exatamente o que eu quero e pronto.
      Se você aguentar ler, me conte o que achou depois hahaha Tanto sobre o que contei quanto sobre o texto em si. Gostaria de saber sua opinião.

      Excluir
    6. Pode deixar, darei minha opinião. Hahah
      Já eu me acho um pouco maçante. Tanto que o que eu acabo publicando no blog nunca é a "primeira versão" do texto em si. Eu escrevo, reviso e acabo deletando muita coisa, ou simplesmente condensando alguns parágrafos num só. Mesmo assim os posts saem relativamente grandes. '~'
      P.S. Vi no seu Instagram que você comprou O Guia do Mochileiro das Galáxias. Acredite, a Bienal terá valido a pena por isso.

      Excluir
    7. Ah, mas ninguém publica a primeira versão de nada que escreve. Sempre é preciso revisar e alterar coisas.
      Engraçado que neste momento estou lendo o livro Palavra por Palavra, de Anne Lamott, e ela fala sobre isso, que temos que escrever esboços ruins para conseguirmos esboços bons depois. Aliás, esse livro é muito bom, estou adorando. Ela é escritora e professora de redação e ensina um pouco dos métodos dela para escrever e dá dicas. Bem interessante.
      Uau, espero que sim hahaha Estou relendo o primeiro livro para continuar a série, porque a primeira vez que li foi muitos anos atrás. Não me lembrava que era tão "viajado" hahahaha

      Excluir
    8. Comigo também foi assim, li o Guia em 2011 (aproximadamente) e tive que relê-lo esse ano para dar continuidade à série. Acabou que eu gostei mais da segunda vez que li o livro do que da primeira. Até subi a nota dele no skoob.
      Acabei de ler a sinopse do Palavra por Palavra e parece ser um livro bacana, mas não o tipo de leitura que estou procurando no momento, então talvez depois, talvez quando eu voltar a escrever contos, eu o leia.

      Excluir